Exercícios físicos na gravidez: saiba quais deles podem contribuir para uma gestação mais ativa e saudável

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language. Durante a gravidez, todo cuidado é pouco. Mas isso não significa que a maternidade deva ser vista como ameaça ou, ainda, [...]Read More...

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Durante a gravidez, todo cuidado é pouco. Mas isso não significa que a maternidade deva ser vista como ameaça ou, ainda, um sinônimo de sedentarismo. As mães que não dispensam um bom exercício e gostariam de manter-se ativas durante a gestação não precisam se preocupar: as atividades físicas podem sim ser conciliadas com a gravidez.

No entanto, é preciso redobrar a atenção aos tipos de atividades e nas formas ideais de executá-los. Durante esse processo, é indispensável que a gestante passe por um acompanhamento obstétrico completo. Isso irá garantir que a saúde de mãe e filho(a) estejam em dia, sendo corretamente acompanhada e monitorada.

Quais os benefícios da prática de exercícios durante a gestação?

Além de auxiliarem na saúde mental aliviando o stress e o cansaço psicológico, os exercícios físicos durante essa fase contribuem para aumentar a disposição durante o período gestacional. E as vantagens não param por aí: se bem executados, diminuem inchaços, enjoos, dores nas costas e vários outros sintomas negativos. Além disso, reduzem as chances de contração de diabetes gestacional e hipertensão arterial.

Quais os exercícios mais indicados?

Musculação

Essa modalidade pode, e muito, ser benéfica durante o período gestacional. No entanto, é de extrema importância que haja adaptações, feitas com o auxílio de um educador físico, nas cargas e repetições das séries (normalmente para menos). Entre os benefícios estão o fortalecimento da musculatura e a diminuição de dores, bem como a prevenção delas.

Pilates

Esse tipo de atividade é recomendado para as gestantes que já praticavam-na anteriormente. Sendo assim, não é o mais indicado para as que, juntamente à gravidez, querem dar início a atividade. É uma ótima forma de fortalecer a musculatura, principalmente a região da pelve, que faz toda a diferença no processo do parto normal.

Não se esqueça: é fundamental adequar os exercícios da modalidade às execuções mais anatômicas e confortáveis para a gestante. Além disso, é normal que a partir do primeiro trimestre, a mulher sinta desconfortos em algumas posições.

Hidroginástica/Natação

Esse é um dos tipos de exercícios mais recomendados pelos médicos. Além de auxiliar no relaxamento muscular (já que a água reduz a sensação de peso provocada pela barriga), aumenta o fôlego, favorece a resistência e melhora a postura

Caminhada/Bicicleta

Exercícios cardiovasculares em geral estimulam a circulação do sangue e melhoram o sistema cardiovascular. Além disso, reduzem o ganho excessivo de peso durante a gravidez e evitam a diabetes gestacional. Impedem também que o bebê desenvolva a doença.

Vale lembrar que, se o exercício escolhido for a bicicleta, é preferível optar pelas ergométricas. Elas possuem um formato anatômico que ajudam na correção da postura.

Alongamento

Os alongamentos são exercícios direcionados ao aumento da flexibilidade e relaxamento muscular. Durante a gestação, podem auxiliar na redução das tensões musculares, além de ajudar na postura e evitar possíveis lesões. Tudo isso contribui para que a mulher tenha uma gravidez mais confortável.

Lembre-se: Equilíbrio é tudo!

Seja qual for a modalidade escolhida, é importante ressaltar a importância de que a gestante seja acompanhada não apenas pelo seu médico (no caso, um ginecologista obstetra), mas também pelo profissional especializado no exercício que irá praticar. Além disso, os limites da mulher devem ser entendidos e respeitados sempre. Nada de forçar a barra!

E, por fim, vale lembrar a importância de aliar o acompanhamento médico e as atividades físicas a uma boa alimentação. Uma nutrição equilibrada evita que o bebê passe por desequilíbrios que podem levar a quadros de obesidade infantil ou, mais tarde, adulta. Também ajuda no bom desenvolvimento dos órgãos e dos tecidos do feto, bem como na formação de um sistema nervoso saudável.

Quer aprender mais dicas e informações sobre saúde e temas relacionado? Continue acompanhando o Blog da Sciath e receba conteúdos atualizados e completos.