Amil vai descredenciar 10 hospitais da rede D’or no Rio de Janeiro e em São Paulo: conheça os motivos!

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language. Líder no mercado de planos de saúde com quatro milhões de beneficiários, a Amil anunciou  o descredenciamento de 10 hospitais, sendo [...]Read More...

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Líder no mercado de planos de saúde com quatro milhões de beneficiários, a Amil anunciou  o descredenciamento de 10 hospitais, sendo três em São Paulo e sete no Rio de Janeiro, a partir do dia 21 de junho. De acordo com a operadora, a companhia quer alinhar a rede de hospitais credenciados com as “mais recentes evidências médicas e modelos de remuneração que premiam os resultados clínicos e a experiência do paciente”. A lista inclui hospitais da famosa Rede D’Or.

ENTENDA O QUE ACONTECEU

A Amil pediu aos hospitais que mudassem a forma de remuneração por serviço (hospital recebe por procedimento prestado) para remuneração por pacotes de serviços (hospital recebe pelo conjunto de procedimentos recomendados a determinadas doenças/quadros de saúde).

PROPOSTA

A Amil entende que  deve oferecer um valor fechado ao hospital, que ficará responsável por administrar a quantia para fazer o tratamento do paciente. Cabe ao credenciado usar sua eficiência e estratégia para resolver o caso. A rede entende que o antigo modelo incentiva procedimentos desnecessários e leva ao desperdício e assistência médica inadequada. A operadora afirma que 30% de sua rede credenciada de hospitais já está no novo modelo de remuneração.

Segundo o presidente do UnitedHealth Group, multinacional que responde pela operadora, a Amil sabe que essa situação pode causar dissabores aos usuários. No entanto, o grupo não pode ficar refém dos prestadores de serviços de saúde, que muitas vezes não estão corretos ao desperdiçar dinheiro em procedimentos que poderiam ser evitados. A empresa garante que vai ampliar seu atendimento em outros lugares e vai orientar as pessoas nesse processo de transição.

QUAIS HOSPITAIS SERÃO DESCREDENCIADOS?

São Paulo: Hospital Assunção (São Bernardo), Hospital e Maternidade Brasil (Santo André) e Hospital Sino Brasileiro (Osasco).

Rio de Janeiro: Clínica São Vicente (Rio de Janeiro), Hospital Barra D’Or (Rio de Janeiro), Hospital Caxias D’OR (Rio de Janeiro), Hospital Copa D’OR (Rio de Janeiro), Hospital Oeste D’OR (Rio de Janeiro), Hospital Quinta D’OR (Rio de Janeiro), Hospital Rios D’OR (Rio de Janeiro).